Coronavírus – COVID-19

 em Sem categoria

Para Minhas Pacientes (e para quem se interessar) e Profissionais de Saúde

5 de maio de 2020 – Nota técnica 13 : RECOMENDAÇÕES ACERCA DA ATENÇÃO PUERPERAL, ALTA SEGURA E CONTRACEPÇÃO DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

02 de maio de 2020 – Orientações para acompanhantes na Maternidade durante a Pandemia do Coronavírus

28 de abril de 2020 – PROTOCOLO FEBRASGO DE ATENDIMENTO NO PARTO, PUERPÉRIO E ABORTAMENTO DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19

26 de abril de 2020 – Drive Thru no Pré natal – Artigo Científico comentado por Glaucius Nascimento

26 de abril de 2020 – Recomendações da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) para a pandemia do COVID19

26 de abril de 2020 – Pré-natal em tempos de Pandemia do COVID-19

20 de abril de 2020 – Resultados maternos e perinatais com COVID-19 : uma revisão sistemática de 108 gestações

 

20 de abril de 2020 – Resultados de infecções por espectro de COVID19 durante a gravidez: revisão sistemática e metanálise

 

20 de abril de 2020 – Tipos de Estudo Científicos sobre Coronavírus na Gravidez

14 de abril de 2020 –  Características clínicas de 19 recém-nascidos de mães com COVID-19 (Série de Casos)

13 de abril de 2020 – Relato de Caso (da China) sobre COVID-19 e gravidez

11 de abril de 2020

9 de abril de 2020

6 de abril de 2020

 


Perguntas frequentes sobre a gravidez com coronavírus (COVID-19): especialistas médicos respondem às suas perguntas

A pandemia de coronavírus (COVID-19) foi declarada uma emergência nacional nos Estados Unidos pelo presidente . Mães em potencial, como você estão preocupadas com tudo, desde obter remédios até gerenciar interrupções no trabalho. Acima de qualquer preocupação com as mudanças no estilo de vida, há um foco na sua saúde e no impacto do COVID-19 na gravidez .

Pedimos aos médicos obstetras que lidam com os problemas mais complicados da gravidez que respondessem às suas perguntas sobre o coronavírus. Aqui estão suas respostas, fornecidas pela Dra. Sarah Dotters-Katz e seus colegas da Sociedade de Medicina Fetal Materna.

Estou em maior risco de COVID-19 se estiver grávida?

Até agora, não parece.

A gravidez altera seu sistema imunológico de maneira a torná-lo mais suscetível a infecções respiratórias virais como o COVID-19. E se você for infectado, também poderá estar em maior risco de doenças mais graves em comparação com a população em geral. É o que observamos em mulheres grávidas com outras infecções por coronavírus (SARS-CoV e MERS-CoV) e outras infecções respiratórias virais, como gripe . Mas, com base em dados limitados até o momento, esse não parece ser o caso do COVID-19.

Obviamente, é importante tomar ações preventivas para evitar infecções, como lavar as mãos frequentemente e evitar pessoas doentes.

Como o coronavírus pode afetar minha gravidez?

Os dados para COVID-19 são limitados, mas sabemos que mulheres com outras infecções por coronavírus (como SARS-CoV) NÃO tiveram aborto espontâneo ou natimorto a taxas mais altas do que a população em geral.

Por outro lado, sabemos que ter outras infecções virais respiratórias durante a gravidez, como a gripe , tem sido associada a problemas como baixo peso ao nascer e parto prematuro . Além disso, ter febre alta no início da gravidez pode aumentar o risco de certos defeitos congênitos.

Posso transmitir o coronavírus ao meu bebê durante a gravidez ou o parto?

Entre os poucos estudos de caso de bebês nascidos de mães com COVID-19 publicados na literatura revisada por pares, nenhum dos bebês apresentou resultado positivo para o vírus. E não houve relatos de transmissão de mãe para bebê para outros coronavírus (MERS-CoV e SARS-CoV). Além disso, não foi detectado vírus em amostras de líquido amniótico ou leite materno.

Mas houve alguns relatos de recém-nascidos com apenas alguns dias de idade com infecção, sugerindo que uma mãe pode transmitir a infecção ao bebê através de contato próximo após o parto.

É seguro para mim dar a luz em um hospital onde houve casos de COVID-19?

Deveria ser. Sabemos que o COVID-19 é um vírus muito assustador. A boa notícia é que os hospitais estão tomando grandes precauções para manter pacientes e profissionais de saúde em segurança.

De acordo com as diretrizes do CDC, quando um paciente é suspeito de ter COVID-19, ele deve ser colocado em uma sala de pressão negativa. (Pense nesses quartos como aspiradores que sugam e filtram o ar, para que seja seguro para as outras pessoas no hospital.) Se não houver quartos disponíveis, peça a esses pacientes que esperem em casa até que possam ser acomodados com segurança. Isso deve possibilitar o parto no hospital sem colocar você ou seu bebê em risco.

Os hospitais também estão implementando políticas mais rigorosas de visitas para manter os pacientes seguros. Vale a pena ligar para o seu hospital para verificar se há novos regulamentos a serem observados.

Que planos devo fazer agora, caso o sistema hospitalar esteja sobrecarregado na hora do parto?

Todo hospital está fazendo planos diferentes para lidar com esse cenário. Converse com seu médico ou parteira quando estiver com pelo menos 34 semanas de gravidez.

Eu trabalho na área da saúde. Devo pedir ao meu médico que me dê licença do trabalho até o bebê nascer? E se eu trabalhar em uma escola, na indústria de viagens ou em algum outro ambiente de alto risco?

Os estabelecimentos de saúde devem tomar cuidado para limitar a exposição de funcionárias grávidas a pacientes com COVID-19 confirmado ou suspeito, da mesma forma que faria com outros casos infecciosos. Se você continuar trabalhando, siga as  diretrizes de avaliação de risco e controle de infecção do CDC  .

Se você trabalha em uma escola, setor de viagens ou outro ambiente de alto risco, converse com seu empregador sobre o que está fazendo para proteger os funcionários e minimizar os riscos de infecção. Lave as mãos frequentemente.

E se meu obstetra estiver com COVID-19?

Se o seu médico ou parteira apresentar um resultado positivo para COVID-19, eles precisarão ficar em quarentena até se recuperarem e não correr mais o risco de transmitir o vírus. Nesse caso, você será designado para outro obstetra que trabalha com seu médico (ou poderá escolher outro médico).

No meu caso recomendo o meu experiente obstetra auxiliar Dr. Ruy de Deus. Mas temos inúmeros colegas competentes e o nosso enfermeiro obstetra Luís Felipe tem o contato de diversos profissionais que trabalham comigo.  

Pergunte ao seu novo Obstetra ou ao consultório do seu médico se você deve fazer uma quarentena própria ou fazer o teste do vírus. (Isso dependerá de quando você viu o seu provedor pela última vez e quando essa pessoa foi positiva.)

Devemos parar de tentar engravidar por causa do COVID-19?

No momento, não há motivo para não tentar engravidar, mas os dados que temos são realmente limitados. Por exemplo, não acreditamos que o vírus cause defeitos congênitos ou aumente o risco de aborto. Mas não sabemos ao certo se você pode transmitir COVID-19 ao seu bebê antes ou durante o parto.

Também não sabemos se o vírus vive no sêmen ou pode ser transmitido sexualmente.

Temos uma lua-de-mel agendada para os próximos meses – devemos cancelar?

Sim. No momento, o vírus atingiu mais de 140 países e existem proibições de viagens para a China, a maior parte da Europa e o Irã. Locais onde um grande número de pessoas se reúnem correm maior risco, especialmente aeroportos e navios de cruzeiro.

anúncio | página continua abaixo

Se você estava planejando viajar nos EUA, observe que qualquer configuração de viagem aumenta o risco de exposição e já existem muitos lugares em que todos estão sendo solicitados a ficar em casa. Para ver como o vírus está se espalhando, consulte  o mapa do New York Times com base nos dados do CDC .

Para obter os conselhos mais atuais para ajudá-lo a evitar a exposição, consulte a página de viagem COVID-19 do CDC .

O hospital vai me separar do meu recém-nascido e manter o bebê em quarentena?

Se você não tem COVID-19 e não foi exposto ao vírus, o hospital não a separará do seu recém-nascido.

Se o seu resultado for positivo para COVID-19 ou tiver sido exposto, mas não apresentar sintomas, o CDC, o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas e a Sociedade de Medicina Fetal Materna recomendam que você seja separado do bebê para diminuir o risco de transmissão ao bebê. Isso duraria até que você não corresse mais o risco de transmitir o vírus.

Esse cenário, é claro, seria além de partir o coração. Converse com o hospital, o pediatra do bebê e sua família sobre como planejar os cuidados com o bebê, caso você precise se separar após o parto. E tente garantir que você tenha o apoio emocional necessário para suportar a tristeza e o estresse de ter que potencialmente esperar semanas para conhecer seu recém-nascido.

Meu hospital está restringindo os visitantes e permitindo apenas uma acompanhante. Se minha acompanhante sair após o parto, elá poderá voltar?

Todo hospital tem políticas diferentes. Entre em contato com o hospital ou com a unidade de trabalho e parto cerca de uma semana antes do parto para obter as restrições mais atualizadas.

Em geral, se sua acompanhante precisar sair, ela poderá voltar, a menos que saiba que foi exposta ao COVID-19 depois de deixar sua empresa.

Minha mãe estava planejando voar para cá para me ajudar a cuidar do meu novo bebê após o parto. Devo dizer a ela para não vir?

Sim. Se sua mãe tiver mais de 60 anos ou tiver condições médicas crônicas graves (como doença cardíaca, doença pulmonar ou diabetes), ela corre um risco maior de sofrer doenças graves por causa do COVID-19 e deve evitar viagens aéreas.

E lembre-se de que qualquer configuração de viagem aumenta o risco de exposição de uma pessoa. Portanto, pode ser arriscado tê-la perto do bebê depois que ela estiver viajando.

Para obter os conselhos mais atuais sobre viagens, consulte a página de viagens COVID-19 do  CDC .

Fonte: Adaptado de  https://www.babycenter.com/0_coronavirus-covid-19-pregnancy-faq-medical-experts-answer-yo_40007006.bc#articlesection1


Informações sobre a Doença de Coronavírus 2019 durante a Gravidez e Amamentação

O COVID-19 é uma doença nova e  ainda estamos aprendendo como ela se espalha , a gravidade da doença que causa e até que ponto ela pode se espalhar nos Estados Unidos.

Mulheres grávidas

Qual é o risco para as mulheres grávidas de contrair COVID-19? É mais fácil para as mulheres grávidas ficarem doentes com a doença? Se eles ficarem infectados, ficarão mais doentes do que outras pessoas?

Atualmente, não sabemos se as mulheres grávidas têm maior chance de adoecer com o COVID-19 do que o público em geral, nem se são mais propensas a ter doenças graves como resultado. As mulheres grávidas sofrem alterações em seus corpos que podem aumentar o risco de algumas infecções. Com vírus da mesma família que o COVID-19 e outras infecções respiratórias virais, como a gripe, as mulheres têm um risco maior de desenvolver doenças graves. É sempre importante que as mulheres grávidas se protejam de doenças.

Como as mulheres grávidas podem se proteger contra o COVID-19?

As mulheres grávidas devem fazer as mesmas coisas que o público em geral para evitar infecções. Você pode ajudar a interromper a propagação do COVID-19 executando estas ações:

  • Cubra sua tosse (usar o cotovelo é uma boa técnica)
  • Evite pessoas doentes
  • Limpe as mãos frequentemente usando sabão e água ou desinfetante para as mãos à base de álcool

Você pode encontrar informações adicionais sobre a prevenção da doença de COVID-19 no CDC ( Prevenção para o novo coronavírus de 2019 ).

O COVID-19 pode causar problemas durante a gravidez?

Atualmente, não sabemos se COVID-19 causaria problemas durante a gravidez ou afetaria a saúde do bebê após o nascimento.

Durante a gravidez ou parto

O COVID-19 pode ser passado de uma mulher grávida para o feto ou recém-nascido?

Ainda não sabemos se uma mulher grávida com COVID-19 pode transmitir o vírus que causa COVID-19 ao feto ou ao bebê durante a gravidez ou o parto. Nenhum bebê nascido de mãe com COVID-19 apresentou resultado positivo para o vírus COVID-19. Nesses casos, que são um número pequeno, o vírus não foi encontrado em amostras de líquido amniótico ou leite materno.

Bebês

Se uma mulher grávida tiver COVID-19 durante a gravidez, machucará o bebê?

No momento, não sabemos se existe algum risco para os bebês de uma mulher grávida que tem COVID-19. Houve um pequeno número de problemas relatados com gravidez ou parto (por exemplo, parto prematuro) em bebês nascidos de mães que deram positivo para COVID-19 durante a gravidez. No entanto, não está claro que esses resultados estejam relacionados à infecção materna.

Amamentação

Orientação provisória sobre aleitamento materno para mãe confirmada ou sob investigação para COVID-19

Esta orientação provisória destina-se a mulheres com COVID-19 confirmado ou que estejam  sob investigação (PUI)  de COVID-19 e que estejam amamentando atualmente. Esta orientação provisória é baseada no que atualmente se sabe sobre o COVID-19 e a transmissão de outras infecções respiratórias virais. O CDC atualizará essas orientações provisórias conforme necessário, à medida que informações adicionais estiverem disponíveis. Para obter orientações sobre amamentação no ambiente pós-parto imediato, consulte  Considerações provisórias para prevenção e controle de infecções da doença de coronavírus 2019 (COVID-19) 2019 (COVID-19) em Configurações de cuidados de saúde obstétricos hospitalares .

Transmissão de COVID-19 através do leite materno

Muito se sabe sobre como o COVID-19 é espalhado . Pensa-se que a disseminação de pessoa a pessoa ocorre principalmente por gotículas respiratórias produzidas quando uma pessoa infectada tosse ou espirra, semelhante à forma como a influenza (gripe) e outros patógenos respiratórios se espalham. Em estudos limitados sobre mulheres com COVID-19 e outra infecção por coronavírus, a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS-CoV), o vírus não foi detectado no leite materno; no entanto, não sabemos se as mães com COVID-19 podem transmitir o vírus através do leite materno.

Diretrizes de amamentação do CDC para outras doenças infecciosas

O leite materno oferece proteção contra muitas doenças. Existem  raras exceções quando a amamentação não é recomendada . O CDC não possui orientação específica para amamentar durante a infecção por vírus semelhantes como SARS-CoV ou Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS-CoV).

Fora do ambiente pós-parto imediato, o  CDC recomenda que uma mãe com gripe continue amamentando ou alimentando o leite materno expresso com o bebê  , tomando as precauções para evitar a disseminação do vírus para o bebê.

Orientação sobre amamentação para mães com COVID-19 confirmado ou sob investigação para COVID-19

O leite materno é a melhor fonte de nutrição para a maioria dos bebês. No entanto, muito se sabe sobre o COVID-19. Se e como iniciar ou continuar a amamentação deve ser determinado pela mãe em coordenação com sua família e profissionais de saúde. Uma mãe com COVID-19 confirmado ou que é uma PUI sintomática deve  tomar todas as precauções possíveis  para evitar espalhar o vírus para o bebê, incluindo lavar as mãos antes de tocar no bebê e usar uma máscara facial, se possível, enquanto estiver amamentando. Ao expressar o leite materno com uma bomba manual ou elétrica, a mãe deve lavar as mãos antes de tocar em qualquer parte da bomba ou da mamadeira e seguir as  recomendações para uma limpeza adequada da bomba após cada uso. Se possível, considere que alguém que esteja bem alimente o leite materno expresso ao bebê.

Página revista em: 17 de março de 2020

https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/prepare/pregnancy-breastfeeding.html?CDC_AA_refVal=https%3A%2F%2Fwww.cdc.gov%2Fcoronavirus%2F2019-ncov%2Fspecific-groups%2Fpregnancy-faq.html

RECOMENDAÇÕES DA SOCIEDADE DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DE SÃO PAULO (SOGESP) PARA GESTANTES EM TEMPOS DE COVID-19

CORONAVIRUS

São Paulo, 03 de abril de 2020.

Recomendações SOGESP para gestantes em tempos de COVID-19

* Silvana Maria Quintana
Coordenadora científica em Obstetrícia da SOGESP e Professora Associada do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP)

Estamos passando por uma situação inédita e desconhecida no Brasil e no mundo, sendo impossível prever a duração da pandemia pelo COVID-19. Diante dessa realidade, surgem muitas dúvidas que a SOGESP espera, por intermédio de informações objetivas, no formato de perguntas e respostas, orientar às gestantes nesse momento tão delicado.

É essencial frisar que se trata de uma doença nova, portanto os conceitos podem mudar rapidamente. Fica aqui nosso compromisso de atualizar constantemente o conteúdo. Portanto, acompanhe periodicamente as mídias da SOGESP.

Por estar gestante, devo ficar em casa?

O Ministério da Saúde declarou estado de transmissão comunitária do novo Coronavírus (COVID-19) em todo território nacional e a pandemia está apresentando rápida evolução no Estado de São Paulo. Há dois conceitos importantes:

  • Isolamento domiciliar: é indicado apenas para casos suspeitos ou confirmados de Coronavírus (veja orientações SOGESP específicas para essa situação no portal www.sogesp.org.br);
  • Isolamento social: significa não participar de atividades em grupo, seja no trabalho ou para entretenimento. Acredita-se que é uma das medidas mais eficientes para combater a propagação do COVID-19.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: siga as determinações das autoridades de saúde, no sentido de evitar ao máximo os contatos sociais.

Por estar gestante, devo me afastar do trabalho?

Para responder esta pergunta é importante saber se você está apresentando sintomas respiratórios (tosse seca, dor de garganta ou dificuldade respiratória) acompanhados ou não de febre.

  • Se a resposta for sim, o ginecologista e obstetra deverá fornecer atestado para o isolamento domiciliar. Recomenda-se que você preencha e assine o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) e o termo de declaração contendo a relação das pessoas que residem em seu endereço. A SOGESP também disponibiliza modelos desses documentos no site www.sogesp.com.br . Você pode ainda solicitar que seu médico os envie para você.
  • Se a resposta for não, o ginecologista e obstetra deverá avaliar se você apresenta outras doenças (comorbidades). Até o momento não existem evidências científicas de que a infecção COVID-19 tenha maior gravidade na gravidez, mas se a gestante apresenta doenças crônicas, o ginecologista e obstetra pode recomendar a transferência de função ou desenvolvimento das funções remotamente. Caso essas opções não sejam viáveis, a gestante pode ser afastada em razão da pandemia do novo Coronavírus e do aumento do risco de contágio em razão da função exercida, que pode afetar a saúde da paciente e do bebê.

ATENÇÃO: Também é preciso saber o tipo de atividade que você realiza. Gestantes que são profissionais de saúde e grávidas que trabalham em quaisquer atividades ou locais de trabalho considerados insalubres são imediatamente afastadas de acordo com a Lei 13.287/16, que proíbe trabalho de gestantes e lactantes (SEM necessidade de atestado).

RECOMENDAÇÃO SOGESP: converse com seu ginecologista e obstetra sobre qual é a sua situação. Ele ajudará você a decidir qual a melhor alternativa.

 

Tenho direito a continuar com meu acompanhamento pré-natal?

As consultas de pré-natal DEVEM ser mantidas em periodicidade suficiente para garantir o cuidado adequado a cada gestante e não se caracterizam como eletivas.

Você deve entrar em contato com o médico que faz o acompanhamento para organizar o calendário e local de consultas pré-natal durante a pandemia.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: Vá ao consultório apenas no horário de sua consulta; mantenha distância de outras pessoas que estiverem na sala de espera; avalie a possibilidade de ir sozinha à consulta, sem acompanhante, para evitar aglomeração de pessoas na sala de espera; utilize máscara caso tenha sintomas respiratórios ou solicite uma à secretária assim que chegar; adote medidas de etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz com um lenço de papel quando tossir ou espirrar e descarte o lenço usado no lixo ou utilize o antebraço para cobrir boca e nariz e não em suas mãos); higienize as mãos com frequência; evitar tocar nos olhos, nariz e boca sem ter higienizado as mãos.

 

Devo realizar os exames indicados para o meu acompanhamento pré-natal?

Você deve seguir as orientações do seu ginecologista e obstetra quanto à rotina de exames a serem realizados diante da pandemia de Coronavírus.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: Caso seja imprescindível a realização de exames, entre em contato com o laboratório onde serão realizados e verifique se há condições especiais para atendimento, como o agendamento de horário. Evite aglomerações!

Devo tomar as vacinas recomendadas durante o pré-natal, especialmente a da gripe (Influenza-H1N1)?

Sim, você deve receber as vacinas que forem recomendadas. É muito importante receber a vacina H1N1, pois a infecção por este vírus pode ser mais grave na gestante, o que não tem sido observado com o Coronavírus.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: todas as gestantes devem receber os esquemas vacinais recomendados, especialmente para Influenza (H1N1)

 

Posso escolher ter o meu bebê em um hospital que seja apenas maternidade?

Você pode escolher o hospital/maternidade que deseja ter o seu parto. Caso você tenha plano de saúde analise quais as maternidades credenciadas e escolha a que melhor atender suas necessidades. Você pode entrar em contato com a operadora para verificar se há alguma orientação sobre a rede credenciada durante a pandemia de Coronavírus.

Caso você utilize o SUS, dependendo da cidade e região que reside, poderá escolher em qual maternidade deseja ter seu parto. De acordo com a Lei Federal nº 11.634/2007, você tem direito de conhecer, antecipadamente, a maternidade ou o hospital onde será realizado seu parto. Durante a gravidez, a Unidade Básica de Saúde em que realiza o pré-natal deve encaminhá-la para conhecer a maternidade na qual será realizado o parto.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: Converse com seu ginecologista e obstetra de confiança ou no serviço de saúde que você realiza pré-natal para escolher, com tranquilidade e segurança, o hospital/maternidade que terá o bebê.

 

Tenho direito a acompanhante durante meu parto?

O direito da gestante a ter seu acompanhante desde o início do trabalho de parto, no parto e durante o pós-parto imediato (10 dias após o parto) é garantido pela Lei Federal 11.108/2005. Porém, neste momento da pandemia do Coronavírus, a maioria dos hospitais/maternidades tem colocado algumas restrições ao exercício desse direito. Estas restrições são temporárias e visam reduzir riscos e a disseminação da infecção, ou seja, proteger as gestantes e seus bebês. Converse antes na instituição de saúde se será possível ter acompanhante nesta fase ou se a orientação é manter apenas a equipe de saúde essencial para o acompanhamento do trabalho de parto e o parto.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: Converse com o ginecologista e obstetra e siga as recomendações para este momento de pandemia.

Caso eu tenha suspeita ou confirmação de Coronavírus, isso pode afetar meu desejo pelo parto normal?

A maioria das pessoas que se infectam com este vírus são assintomáticas ou apresentam sinais de resfriado. Se você estiver bem, sem dificuldade respiratória o seu trabalho de parto e parto podem evoluir sem necessidade de intervenções. No entanto, se você desenvolver um quadro respiratório mais grave, com dificuldade respiratória ou necessidade de receber oxigênio, pode ser necessária a cesárea.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: A decisão sobre o tipo de parto numa situação de emergência é um desafio e a equipe de saúde vai se basear em muitos fatores: quanto tempo de gravidez você está (idade gestacional), se você tem comorbidades, se o quadro respiratório é instável e, obviamente, como está a oxigenação do seu bebê. Confie na equipe de saúde que está prestando o atendimento.

Que cuidados devo tomar durante a minha internação?

Ainda que você esteja gestante ou tenha passado por um processo intenso de trabalho de parto ou mesmo cirúrgico e tenha um bebê recém-nascido, as precauções contra a doença são as mesmas.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: seguir essas orientações em qualquer ambiente:

  • Evitar contato próximo com pessoas apresentando infecções respiratórias agudas;
  • Lavar frequentemente as mãos (pelo menos 20 segundos), especialmente após contato direto com pessoas ou com o meio ambiente e antes de se alimentar. Se não tiver água e sabão, use álcool em gel 70%, caso as mãos não tenham sujeira visível;
  • Evitar tocar olhos, nariz e boca sem higienizar as mãos;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Usar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados

 

Posso amamentar meu bebê caso eu apresente sintomas ou tenha confirmado estar com Coronavírus?

Se você apresenta sintomas respiratórios (tosse seca, dor de garganta ou dificuldade respiratória), acompanhados ou não de febre, será considerada como um caso suspeito para COVID 19. Se está assintomática e tem resultado positivo para o vírus, será um caso confirmado de COVID19. Em qualquer das duas situações a equipe de saúde fornecerá máscara facial e você ficará em leito isolado no hospital/maternidade. A decisão de amamentar o bebê levará em consideração a sua vontade de amamentar e as suas condições clínicas.

  • Ø Se você está clinicamente estável e desejar amamentar, a equipe de saúde deve estimular a amamentação orientando-a a usar máscara todo o tempo e a higienizar as mãos ao pegar o bebê. Caso decida não amamentar, deverá ser apoiada e orientada sobre o preparo de fórmulas para o bebê.
  • Ø Se você está instável clinicamente, será necessário analisar individualmente seu caso, sendo razoável suspender a amamentação, mantendo-se, entretanto, todas as medidas para manter a lactação.

Se você é assintomática (não apresenta tosse seca, dor de garganta ou dificuldade respiratória nem febre), a recomendação é amamentar sob livre demanda (a hora que o bebê quiser mamar).

RECOMENDAÇÃO SOGESP: caso você apresente sintomas respiratórios e deseje amamentar, é imprescindível o uso de máscara e tomar precauções de contato.

 

Posso receber visitas na maternidade quando meu bebê nascer?

Em razão da situação de pandemia e para garantir a saúde e segurança dos pacientes, alguns hospitais estão proibindo ou restringindo as visitas para pacientes internados.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: Verifique junto ao hospital ou maternidade onde será o parto qual a regra atual de visitação. Já converse com parentes e amigos que neste momento o melhor é não receber visitas.

 

Devo receber visitas em casa quando meu bebê nascer?

Vale lembrar que o isolamento social é uma das medidas mais eficientes para combater a propagação de COVID-19 até o presente momento.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: seguir as determinações das autoridades de saúde, no sentido de se evitar ao máximo os contatos sociais.

 

Devo vacinar meu bebê?

De acordo com orientações da Sociedade Brasileira de Pediatria e da Sociedade Brasileira de Imunizações, a população deve ser encorajada a manter o calendário vacinal atualizado, que deverá ser otimizado, com a aplicação do maior número de vacinas possível na mesma visita, desde que se respeite o intervalo mínimo entre as doses. O objetivo é reduzir o número de visitas às unidades de saúde.

RECOMENDAÇÃO SOGESP: Manter o calendário vacinal do recém-nascido na unidade de saúde mais perto da residência em horários menos concorridos. Estes locais deverão ter estratégias de distanciamento e estabelecer horários diferenciados para a vacinação de crianças. Sempre que possível, a vacinação domiciliar é uma opção a ser considerada.

Revisão jurídico-técnica, Juliana Kozan.


Para Profissionais de Saúde

 

Protocolo de Entrada e Saída de Casa

Entrada e saída de casa COVID 19

Protocolos para Profissionais de Saúde

Boletins Epidemiológicos do Ministério da Saúde

BE8 – Boletim Especial do COE Coronavírus Avaliação de Risco

BE7 – Boletim Especial do COE Coronavírus Avaliação de Risco

BE6 – Boletim Especial do COE Coronavírus Avaliação de Risco

BE Coronavírus – 13/03/2020

BE Coronavírus – 04/03/2020

BE Coronavírus – 21/02/2020

BE Coronavírus – 10/02/2020

BE Coronavírus – 03/02/2020

BE Vol. 51 Nº 4 – Novo coronavírus (2019-nCoV); e vigilância de violências e acidentes no Brasil: análise da cobertura da notificação compulsória de violência interpessoal/autoprovocada nos municípios brasileiros

 

SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA (SBI)

25/03/2020 – NOTA OFICIAL DA SBI SOBRE O PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA, JAIR BOLSONARO

24/03/2020 – RESUMO DA NOTA TÉCNICA/ANVISA SOBRE MEDIDAS DE PREVENÇÃO QUE DEVEM SER ADOTADAS NA ASSISTÊNCIA A PACIENTES COM SUSPOEITA OU CONFIRMAÇÃO DE COVID-19

23/03/2020 – INFORME DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA (SBI) SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS N° 10 – PERGUNTAS E RESPOSTAS PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E PARA O PÚBLICO EM GERAL

22/03/2020 – NOTA DE ESCLARECIMENTO (USO DE HIDROXICLOROQUINA PARA COVID-19)

20/03/2020 – NOTA OFICIAL

20/03/2020 – INFORME DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS INFORME DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS N° 8 – PERGUNTAS E RESPOSTAS PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E PARA O PÚBLICO EM GERAL

12/03/2020 – INFORME DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA (SBI) SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

05/03/2020 – NOTA DE ESCLARECIMENTO – Orientação de escolas a alunos ou familiares próximos que viajaram a áreas afetadas pelo novo coronavírus

03/03/2020 – NOTA DE ESCLARECIMENTO – Eficácia do álcool gel na higienização das mãos e ação contra o novo coronavírus

26/02/2020 – INFORMATIVO DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA: PRIMEIRO CASO CONFIRMADO DE DOENÇA PELO NOVO CORONAVÍRUS (COVID-19) NO BRASIL

13/02/2020 – NOTA DE ESCLARECIMENTO – Divulgação de procedimento protetivo contra o novo coronavírus – COVID-19

07/02/2020 – Fakenews

29/01/2020 – INFORME DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS – PERGUNTAS E RESPOSTAS PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E PARA O PÚBLICO EM GERAL

24/01/2020 – INFORME DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE INFECTOLOGIA SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS – PERGUNTAS E RESPOSTAS PARA PROFISSIONAIS DA SAÚDE E PARA O PÚBLICO EM GERAL


Livro sobre o Covid-19 LIVRO COVID 19


Protocolo sobre o Covid-19 da Secretaria de Saúde de Pernambuco COVID19 SES-PE

Nota Técnica da SES-PE sobre Covid-19 nma gestação e amamentação Covid19 Gestação e Amamentação SES-PE


Protocolo sobre o Covid-19 do Ministério da Saúde COVID19 MS

Novo Protocolo sobre o Covid-19 do Ministério da Saúde  (ABRIL de 2020) https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/April/05/Protocolo-de-Manejo-Cl–nico-para-o-Covid-19.pdf

Fluxo de manejo clínico de gestantes na Atenção Especializada https://www.saude.gov.br/images/pdf/2020/marco/25/Fluxo-de-manejo-cl–nico-de-gestantes.pdf


GINECOLOGIA E OBSTETRÍCIA E DIAGNÓSTICO POR IMAGEM (RCOG, ACOG, SMMF, ISUOG, FEBRASGO, SBUS/SOBRAMEF, CBR)

Protocolo sobre COVID-19 pelo Colégio Real de Ginecologistas e Obstetras (RCOG) coronavirus-covid-19-infection-in-pregnancy.pdf-1

Algoritmo para tratamento de gestantes do Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras (ACOG) covid-19-algoritmo ACOG

Recomendações da Sociedade Brasileira de Ultrassonografia (SBUS) e Sociedade Brasileira de Medicina Fetal (SOBRAMEF) sobre Ultrassonografia e Manejo de Gestantes com Infecção pelo COVID-19 SBUS e SOBRAMEF Covid19

Cuidados específicos para serviços de ultrassonografia diagnóstica durante o surto de COVID-19 CBR USG Cuidados e Recomendações gerais para Prevenção do Covid-19 em clínica de imagem CBR Recomendações para Clínicas de Imagem

Site do ACOG sobre COVID-19 https://www.acog.org/clinical/clinical-guidance/practice-advisory/articles/2020/03/novel-coronavirus-2019

Site da Sociedade de Medicina Materno-Fetal https://www.smfm.org/covid19

Protocolo Medicina Fetal Barcelona coronaviruscovid-19-y-embarazo

Orientação provisória ISUOG sobre 2019 nova infecção por coronavírus durante a gravidez e o puerpério: informações para profissionais de saúde uog.22013
Coronavírus na gravidez e no parto: revisão rápida uog.22014

Algoritmo adaptado pela FEBRASGO em português para tratamento de gestantes do Colégio Americano de Ginecologistas e Obstetras (ACOG)


Sociedade Brasileira de Medicina de Família e de Comunidade https://www.sbmfc.org.br/noticias/gravidez-e-coronavirus-confira-as-evidencias/ e https://www.sbmfc.org.br/noticias/profissionais-de-saude-e-corona-virus/


Cuidados com a Saúde Mental


Informações Básicas para população Geral

Como Lavar as mãos

Etiquetas de Higiene

Preveção do Coronavírus

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar