Guia do Papai

 em Obstetrícia
Gravidez
FAQ032, maio de 2016

Formato PDF

Guia do parceiro (papai) para a gravidez

Por que é importante apoiar a gravidez do seu parceiro?

As mulheres que têm um parceiro envolvido e de apoio durante a gravidez são mais propensas a desistir de comportamentos prejudiciais, como fumar e levar uma vida mais saudável. Bebês podem nascer mais saudáveis ​​também, com menores taxas de nascimento prematuro e problemas de crescimento. As mulheres que são bem apoiadas durante a gravidez podem ser menos ansiosas e ter menos estresse nas semanas após o parto. Você pode ser solidário, educando-se sobre a gravidez, indo com o seu parceiro para consultas de pré – natal , e juntando-se a ela para fazer escolhas de estilo de vida saudável.

Quanto tempo dura a gravidez?

Uma gravidez normal dura cerca de 40 semanas a partir do primeiro dia do último período menstrual da mulher (DUM) . Semanas de gravidez são divididas em três trimestres . Cada trimestre dura cerca de 3 meses.

Como a data provável do parto é estimada?

A data estimada em que o bebê nascerá é chamada de data provável do parto (DPP) . Esta data é baseada na DUM ou em um exame de ultrassonografia . Os métodos de datação de DUM e ultra-som são frequentemente usados ​​em conjunto para estimar o DPP Tenha em mente que apenas 1 em 20 mulheres realmente dão à luz na data estimada de vencimento.

O que acontece durante o primeiro trimestre da gravidez?

Durante o primeiro trimestre (as primeiras 13 semanas), a maioria das mulheres precisa de mais descanso do que o habitual. Eles podem ter sintomas de náusea e vômito. Embora comumente conhecido como “enjôo matinal”, esses sintomas podem ocorrer a qualquer hora do dia ou da noite. A gravidez precoce pode ser um momento emocional para uma mulher. Mudanças de humor são comuns. Não é incomum que você tenha altos e baixos também. Gravidez e paternidade são grandes mudanças na vida, e pode levar algum tempo para você se ajustar. Ouça seu parceiro e ofereça suporte.

O que acontece durante o segundo trimestre da gravidez?

Para a maioria das mulheres, o segundo trimestre da gravidez (semanas 14 a 27) é o momento em que elas se sentem melhor. À medida que o abdome da parceira cresce, a gravidez se torna mais óbvia. Muitas mulheres começam a se sentir melhor fisicamente. Os níveis de energia melhoram e os problemas matinais geralmente desaparecem. Sua parceira começará a sentir o bebê se mexer. Isso geralmente acontece em cerca de 20 semanas de gravidez, mas isso pode acontecer mais cedo ou mais tarde.

Muitos casais fazem aulas de parto (cursos de preparação para o parto, encontro de casais grávidos) no hospital onde planejam ter o bebê. As aulas são uma ótima maneira de aprender o que esperar durante o trabalho de parto e o parto e como apoiar seu parceiro durante o parto. Você também pode conhecer e conversar com outros pais que estão esperando.

O que acontece durante o terceiro trimestre da gravidez?

O último trimestre (semanas 28–40) costuma ser o mais desconfortável para a sua parceira. Também pode ser um momento muito ocupado enquanto você se prepara para o bebê. Sua parceira pode sentir desconforto quando o bebê cresce e seu corpo se prepara para o parto. Ela pode ter problemas para dormir, andar rapidamente e fazer tarefas rotineiras. É normal que ambos se sintam excitados e nervosos.

Que mudanças de estilo de vida meu parceiro e eu precisamos fazer durante a gravidez?

Sua parceira precisa fazer da sua saúde uma prioridade durante a gravidez e você pode apoiá-la fazendo isso também. Faça refeições saudáveis ​​e garanta que ela descanse bastante. Exercício durante a gravidez também é importante. É especialmente importante para o seu parceiro evitar substâncias nocivas, como fumar, álcool e drogas ilegais.

Nenhuma quantidade de álcool é considerada segura durante a gravidez. Drogas ilegais, como heroína, cocaína, metanfetaminas e medicamentos usados ​​por uma razão não-médica, podem prejudicar um bebê em desenvolvimento. O uso da maconha não é recomendado durante a gravidez. As mulheres que usam essas substâncias podem ter outros comportamentos prejudiciais, como má-nutrição, que são prejudiciais durante a gravidez.

Eu preciso parar de fumar se minha parceira estiver grávida?

Você e sua parceira devem parar de fumar. Fumar durante a gravidez aumenta o risco de problemas de crescimento fetal e parto prematuro. O fumo passivo também é prejudicial. As mulheres grávidas que respiram o fumo passivo têm um risco aumentado de ter um bebê com baixo peso ao nascer. Bebês e crianças que são fumantes passivas têm taxas mais altas de ataques de asma, infecções respiratórias, infecções de ouvido e síndrome da morte súbita infantil (SIDS) do que aqueles que não são. Por todas estas razões, o tabagismo não deve ser permitido em sua casa ou carro.

É seguro fazer sexo durante a gravidez?

A menos que o médico obstetra ou outro profissional de saúde lhe tenha dito o contrário, você pode fazer sexo durante a gravidez. Você pode precisar tentar novas posições à medida que a barriga de sua parceira cresce. Além disso, tenha em mente que a relação sexual pode ser desconfortável às vezes para a sua parceira.

Como posso ajudar a me preparar para o trabalho de parto?

Há muito que você pode fazer para ajudar a tornar o trabalho de parto e o parto o mais suave possível:

  • Visite o hospital. O passeio é um bom momento para perguntar sobre as políticas do hospital sobre quem pode estar no quarto durante o trabalho de parto e parto, se você pode pernoitar no quarto e se pode tirar fotos ou filmar o parto. Também pergunte sobre áreas de estacionamento no hospital e onde fazer o check-in.
  • Instale um assento de carro voltado para trás. Você não pode levar seu bebê para casa, a menos que tenha uma cadeirinha infantil. Plano para obter um assento de carro voltado para trás bem antes da data de vencimento e verifique se ele está instalado corretamente. O site  www.safercar.gov oferece dicas sobre como escolher e instalar o assento do carro que é melhor para seu bebê.
  • Seja vacinado. Se é temporada de gripe, tomar uma vacina contra a gripe. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças e o Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas recomendam que todos com 6 meses de idade ou mais recebam a vacina contra a gripe a cada ano. Eles também recomendam que todos os que estiverem em contato com o bebê recebam uma dose de toxóide tetânico, toxóide diftérico reduzido e vacina pertussis acelular (dTPA) pelo menos duas semanas antes.

Como posso ajudar minha parceira durante o trabalho de parto e parto?

Durante esse tempo, você pode

  • Ajudar a distrair seu parceiro jogando jogos com ela ou assistindo a um filme durante o início do trabalho de parto
  • faça caminhadas curtas com ela, a menos que ela tenha dito para ficar na cama
  • verificar suas contrações
  • massagear suas costas e ombros entre contrações
  • oferecer conforto e palavras de apoio
  • incentivá-la durante o estágio de diatação e expulsão

Alguns parceiros decidem não comparecer ao parto e nascimento. Mesmo se você não estiver na sala, seu parceiro receberá muita ajuda durante o trabalho de parto e a entrega da equipe do hospital. Amigos ou membros da família podem oferecer suporte. Você também pode contratar um assistente de parto chamado doula .

Quando podemos levar nosso bebê para casa do hospital?

Depois que o bebê nascer, você provavelmente poderá levar sua nova família para casa após um ou dois dias. Se o seu parceiro teve uma cesariana , ela e o bebê podem precisar ficar no hospital por mais tempo.

O que é depressão pós-parto?

É muito comum que as novas mães se sintam tristes, perturbadas ou ansiosas após o parto. Muitos têm sentimentos leves de tristeza, chamados “baby blues”. Quando esses sentimentos são mais extremos ou duram mais que uma semana ou duas, pode ser um sinal de uma condição mais grave conhecida como depressão pós-parto . Muitas vezes, as mulheres com depressão pós-parto não estão cientes de que estão deprimidas. São seus parceiros que primeiro notam os sinais e sintomas.

Quais são os sinais e sintomas da depressão pós-parto?

A seguir, são sinais de depressão pós-parto:

  • O baby blues não começa a desaparecer após cerca de uma semana, ou os sentimentos pioram.
  • Ela tem sentimentos de tristeza, dúvida, culpa ou desamparo que parecem aumentar a cada semana e atrapalhar sua rotina normal.
  • Ela não é capaz de cuidar de si mesma ou de seu bebê.
  • Ela tem dificuldade em fazer tarefas em casa ou no trabalho.
  • Seu apetite muda.
  • Coisas que costumavam trazer prazer a ela não fazem mais.
  • A preocupação e a preocupação com o bebê são muito intensas, ou o interesse pelo bebê é insuficiente.
  • Ela se sente muito em pânico ou ansiosa. Ela pode ter medo de ficar sozinha com o bebê.
  • Ela teme prejudicar o bebê. Esses sentimentos podem levar à culpa, o que agrava a depressão.
  • Ela tem pensamentos de auto-agressão ou suicídio.

Se seu parceiro mostrar algum desses sinais, informe-lhe sobre suas preocupações. Ouça-a e apoie-a. Ajude a conseguir a ajuda profissional que ela pode precisar.

Você também deve estar ciente de que todos os pais novos podem ter depressão pós-parto. Fale com um profissional de saúde se tiver algum dos sinais.

Como posso me sentir envolvido quando minha parceira está amamentando?

Os especialistas médicos concordam que o aleitamento materno proporciona os maiores benefícios à saúde para a maioria das mulheres e seus bebês. Alguns parceiros sentem-se excluídos quando observam a proximidade da amamentação. Mas se sua parceira escolheu amamentar, existem maneiras de compartilhar esses momentos:

  • Traga o bebê para ela amamentar.
  • Arrume e troque a fralda do bebê.
  • Abrace e dê colo para o seu bebê dormir.
  • Ajude a alimentar seu bebê se seu parceiro bombear seu leite materno em uma garrafa.

Quando é permitido fazer sexo novamente depois que o bebê nasce?

Não há “período de espera” definido antes que uma mulher possa fazer sexo novamente após o parto. Alguns profissionais de saúde recomendam esperar de 4 a 6 semanas. As chances de um problema ocorrer, como sangramento ou infecção, são pequenas após cerca de duas semanas após o nascimento. Se a sua parceiro teve uma episiotomia ou laceração no parto, ela pode ser instruída a não ter relações sexuais até que o local esteja completamente cicatrizado.

Glossário

Cesariana: parto através de incisões cirúrgicas feitas no abdome da mãe e do útero.

Doula: Uma treinadora ou ajudante de parto que dá apoio emocional e físico contínuo a uma mulher durante o trabalho de parto e o parto.

Episiotomia: Uma incisão cirúrgica feita no períneo (a região entre a vagina e o ânus) para alargar a abertura vaginal para o parto.

Data Provável do Parto (DPP): A data estimada em que um bebê nascerá, cm 40 semanas.

Data da última menstruação (DUM): A data do primeiro dia do último período menstrual antes da gravidez que é usado para estimar a data de entrega.

Obstetra: Um médico especializado em cuidar de mulheres durante a gravidez, o trabalho de parto e o período pós-parto.

Pós-parto: Um termo que geralmente se refere às primeiras semanas ou meses após o parto, especificamente 42 dias, sendo chamado de puerpério.

Depressão pós-parto: Sentimentos intensos de tristeza, ansiedade ou desespero após o parto que interferem na capacidade de funcionamento da nova mãe e que não desaparecem após 2 semanas.

Pré-natal: Um programa de cuidados para uma mulher grávida antes do nascimento de seu bebê.

Pré-termo: Aquele bebê que nasceu antes de completar 37 semanas de gravidez.

Síndrome da Morte Súbita do Lactente (SIDS): A morte inesperada de uma criança e na qual a causa é desconhecida.

Toxóide Tetânico, Toxóide Reduzida de Difteria e Vacina Pertussis Acelular (Tdap): Uma vacina que inclui uma combinação de toxóide tetânico, toxóide diftérico e coqueluche acelular.

Trimestres: Os três períodos de 3 meses em que a gravidez é dividida.

Exame de ultrassonografia: Um teste em que as ondas sonoras são usadas para examinar estruturas internas. Durante a gravidez, pode ser usado para examinar o feto.

Se você tiver outras dúvidas, entre em contato com seu obstetra-ginecologista.

FAQ032: Concebido como uma ajuda aos pacientes, este documento apresenta informações e opiniões atuais relacionadas à saúde da mulher. A informação não dita um curso exclusivo de tratamento ou procedimento a ser seguido e não deve ser interpretado como excluindo outros métodos aceitáveis ​​de prática. Variações, levando em conta as necessidades individuais do paciente, recursos e limitações exclusivas da instituição ou tipo de prática, podem ser apropriadas.

Copyright maio de 2016 pelo Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar